A União Libanesa Cultural Mundial sediada no prédio do Ministério de Exterior do Líbano é o órgão representativo oficial da Diáspora Libanesa. A União Libanesa da Diáspora é sua filial em São Paulo.    A União Libanesa da Diáspora é uma Associação Brasileira que agrega líderes e membros da Comunidade Libanesa no Brasil com sede em São Paulo.

Gebran, Gebrin, Jatene, Jatawi – conversas a respeito da origem desses nomes

A foto é ilustrativa de imigrantes sírio-libaneses no Oeste Paulista iniciada 1880

Cecin Daoud Yacoub – Pelo elo das especialidades, sempre ouvi falar do Dr Henrique Gebrin. Não sabia que era patrício. Levando-se a influência francesa no sufixo do sobrenome GebrIN, lê-se GebrAN… Deve vir daí!

Assad Frangieh – Nao creio Cecin. No Líbano o nome Gibran é comum enquanto Gibrin parece ter origem árabe e encontrado na Jordânia e em tribos árabes tradicionais. Há uma cidade na Jordânia com nome Gibrin. O nome Gibran é comum nas famílias maronitas.

Cecin Daoud Yacoub – Sei não!… Eu e você lá do norte pronunciamos “massôri” e os demais pronunciam “massari”, embora neste que$Ito um bom árabe aceita qualquer pronuncia…

Assad Frangieh –  O assiríaco torna a pronuncia da letra A em som de O por isso os habitantes das montanhas na Síria – Jabal Al Nassara até as montanhas de Batroun no centro do Líbano, reduto dos maronitas tem a pronuncia acentuada do O. Mas isso não é exclusivo dos maronitas. O pessoal de Tripoli e os vilarejos de Akkar preservam esta pronuncia, onde predominam a religião islâmica sunita. Por outro lado, a pronuncia certa do A é uma exigência preservada dos árabes muçulmanos por causa do Al Corão que tem que ser lido e pronunciado corretamente.

Cecin Daoud Yacoub – Voltando ao Gebrin, Ninguém melhor que membros da própria família para explicar. Tomo a liberdade para explicar o significado de Jatene que um dia o Fábio me explicou e achei o máximo! Refere-se oriundos da região da Gruta de Jeita = Jatene.

Assad Frangieh – Uma vez comentei isso com dr. Adib. Se fosse de Jeita seria Jeitewi e nao Jeiteni. O pai do Adib é de Bet Melat em Akkar e dr. Adib chegou a visitar a casa do pai dele que ficou abandonada. De qualquer forma, a palavra Jeita vem do aramaico que significa “rio que vem das cavernas”. A familia Jeitani que é antiga também em Zgharta se refere ao pessoal que mora na beira dos rios. Na região do Monte Líbano, você encontra Jeitawi. No norte são Jeitani ou Al-Jeitani. Parece serem bem diferentes. Akkar tem muitas histórias para contar.

Antoun Demian – Tudo vem de AKKAR…. O Prof. Gebrin da EPM é meu primo. Dizem que mama é com ele. Nao há citações que ele seja de AKKAR. Sua Mãe minha prima é de família oriunda de Trípoli.

Alberto Sabbag – Assad você está certo pois quando a mãe do Dr. Adib ficou viúva em Xapuri eles vieram para Goiás e depois São Paulo, origem Akkar pois eram aparentados com nossa família que é de Baino (Beino) em Akkar

Assad Frangieh – Nessas coincidências da vida, o Adib quando estava na visita de Bet Malet encontro um outro Jatene mas que era de Baino e morava nos EUA. Estava também visitando suas raízes.

 

 

 

 

Deixe seus comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar essas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>